10.1.10


Da maior altura

Maia

Das raízes que me sustentavam

Resta um assomo,

Um mero arremedo,

Tento agora remendar o meu passado,

Procurando as raízes do meu medo...

Raízes, de tão mal transplantadas,

Em solo distante definharam,

Em terra estranha fincaram-se em falsas pedras,

Em vão buscar o sustento procuravam.

Vejo-me então grande carvalho tombado

Pelo soprar leve de um vento vadio,

Desolado, agora que caiu

A ficha das próprias desesperanças...

Mas coração,

Contudo,

Ainda sente premente o chamado do mundo

Um comentário:

  1. O velho carvalho pode estar tombado, mais ainda vive...Beijos amigo.

    ResponderExcluir

Diga ai...